ACEITA UM CHÁZINHO?
CLICA NA JAPONZINHA



DECIDI

Decidi
quebrar alguns conceitos
que nem eram
tão meus...

Decidi
não esperar um abraço
abraçar primeiro...
Não esperar um carinho
ser mais carinhosa,
me desarmar dos medos
geralmente são tolos
ou no máximo
bobinhos...

Decidi
Usar as roupas que gosto
mesmo que não estejam na moda...
Elas são minhas e vestem,
de certo modo, minha alma
por que a faz sorrir.

Decidi amar sem medo...
se tiver que sofrer
terá valido apena,
dizem que um segundo de amor
pode valer a dor da eternidade
de uma saudade.
Não custa experimentar...

Mas o que decidi pra valer
é viver o hoje, o agora.
Olhar o sol, a lua,
sentir o cheiro da chuva
quando derrama
as primeiras gotas
na terra seca... Bater palmas
pra natureza...
Decidi revirar minhas gavetas,
as da alma.

Decidi que ninguém é mais importante
do que eu, porque só pode amar
alguém aquele que se ama.
e a partir de agora,
posso me dedicar a amar você.

(Sirlei L. Passolongo)


Um comentário:

  1. Por e simplesmente lindo. Tão profundo.Por momentos vi-me dentro desse poema com palavras que por vezes queo dizer e não sei como as dizer, fico com a sensação que não saêm. Hoje também publiquei uma coisinha que fala dum "abraço".
    Beijinho

    ResponderExcluir